domingo, 24 de março de 2013

Zé, o Castelo Branco

Cinco anos depois de ter começado, está concluído o processo em que José Castelo Branco era acusado de maus-tratos, falta de pagamentos e assédio sexual por um grupo de ex-empregados. Devia de estar optar por pagamentos “alternativos” aos seus funcionários…
Castelo Branco foi absolvido (contra todas as expectativas), no entanto, este(a) pretende continuar a limpar o seu nome. “Vou processar o Estado português”, afirma. “Durante o julgamento, a procuradora disse que eu e a Betty éramos negociadores de jóias”, refere. O tipo de jóias que ele deveria transportar seriam vibradores revestidos a ouro e para passar despercebido, à semelhança de muitos traficantes, escondia os objectos num determinado sítio, não seria um trabalho que lhe provocasse grande sacrifício e incómodo.
“A minha honra, que foi posta nas ruas da amargura, tem de ser limpa e voltar a ser transparente, como sempre foi”, defende. Quer dizer, um indivíduo que se veste da maneira que veste, comporta-se da maneira que se comporta, inclusive já foi filmado a ter relações com homens e estava tudo bem, agora por o acusarem de negociar jóias ele sente a sua honra posta nas ruas da amargura? Ele é que se anda a auto-humilhar há anos. Se ele não tem noção disso, a decisão mais sensata era processar também o seu subconsciente.
Contudo, esta não é a única revelação que José Castelo Branco faz, referindo já não ter interesse em candidatar-se à Câmara Municipal de Sintra. “O que quero mesmo é chegar ao Parlamento. Quero ter voz activa”, diz, acrescentando que até pondera criar um partido político. “Porque não? Já pensei nisso”, confessa. Já imaginaram se esta personagem chegava a presidente? Enfim, só se fosse da república das bananas. Quando questionado sobre uma possível aliança partidária? “Só com a esquerda. Estou farto da direita”; ainda noutro dia lhe pediram mais um serviço de mão e ele respondeu da mesma maneira, ao fim de algum tempo começa a cansar, é perfeitamente compreensível.
Este desejo de José Castelo Branco é motivado pela grave crise que Portugal atravessa. “Assusta-me não haver ninguém que defenda o interesse dos portugueses”, lamenta. É de estranhar, pensei que ele apoiasse a célebre expressão “o país está de tanga”. Por ventura ele acrescentava-lhe uma écharpe da chanel se chegasse ao poder…

P.S. Desta vez optei por não colocar nenhuma imagem relacionada juntamente com o texto, como habitual. Pois podem haver menores a ler estas coisas e não quero ser responsabilizado por traumas. Obrigado pela compreensão.




Sem comentários:

Enviar um comentário