sexta-feira, 29 de março de 2013

Versos à chuva

Sexta-feira, 29 de Março de 2013: final de uma semana de chuva incessante em Portugal


Bate forte, fortemente
Como quem chama por mim
Mas já enerva, realmente
Nunca vi nada assim.

Em Abril, águas mil
Já dizia o velho ditado
Se em Março já está tão hostil
No mês que vem estará tudo soterrado.

Palavras, leva-as o vento
Mas com as nuvens parece que ele não pode
Cá permanecem para nosso tormento
Quem não se abriga, bem se f… molha.

Cai chuva, é tempestade
Dizem que uma nunca vem sozinha
E para vermos que isto é verdade
O Sócrates voltou, como uma erva daninha.

Por cá, eu aguardo
Que passe a trovoada
E desta forma o poema acabo
Porque também não me lembro de mais nada…





2 comentários: