domingo, 17 de fevereiro de 2013

Peter Turkson: O Hitler da igreja

Hoje em dia existe sempre aquelas máximas para tentar combater o racismo do tipo “a cor não importa”, “somos todos da mesma cor por dentro”, etc; Mas todos sabemos que mesmo assim as pessoas fazem comentários quando se deparam com um acontecimento onde a personagem principal é de uma etnia diferente. Por exemplo, quando Barack Obama foi eleito presidente dos EUA a reacção da imprensa não foi “está encontrado o novo presidente dos EUA que se chama Obama”, foi sim “o novo presidente dos EUA é negro”; Ou mesmo no dia-a-dia nos deparamos com situações de irmos numa rua e “oh, mais uma lojas de chineses… raio dos chineses estão em todo lado” ou ao assistir ao futebol “Porra! Raio do preto sempre a dar cacete”; 


Enfim, a sociedade já está desde há muito talhada para reagir assim a estas ocorrências e nos últimos dias o tema mais abordado nas conversas e notícias é a renúncia de Bento XVI ao cargo de Papa e, entretanto, já começaram a ser lançados alguns nomes de possíveis sucessores ao lugar.


Peter Turkson é o nome mais badalado pelas casas de apostas. O cardeal ganês que, a confirmarem-se estas expectativas, tornar-se-á o primeiro Papa de etnia africana, notícia também já salientada pela imprensa. 
Ora bem, tanta atenção se dá à cor da pele que não se dá relevo a um factor mais importante sobre este cardeal: a sua mentalidade.
Em entrevista para o site “The Telegraph“, ele diz que é preciso «encontrar maneiras de lidar com os desafios da sociedade e da cultura’, acrescentando que a Igreja precisava “evangelizar”, ou converter, os que tinham abraçado “estilos de vida alternativos, tendências ou questões de gênero”». 

E qual a solução mais pedagógica e sensata que este senhor propõem para pessoas que pessoas com “estilos de vida alternativos”? A pena de morte, pois claro.

De acordo com informações do site “Queerty”, Turkson seria homofóbico e defenderia a pena de morte para homossexuais.

Podemos imaginar uma situação no futuro com este individuo a papa e dar um passeio pela multidão no Vaticano:
- Olha ali um maricas! Seguranças!? Alguém que lhe espete já um tiro. Ui e aquele drogado com rastas ali? Seguranças!
Por amor de deus, olhe-me aquele homem com calças à boca-de-sino, até me faz doer os olhos. Pena de morte!

Pronto, acho que já deu para perceber a ideia…

Sem comentários:

Enviar um comentário